Editorial

Edição nº1381 – quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

Vitórias, avanços, tigres e novas ameaças

Vitória !

No dia 6 de fevereiro, quinta-feira passada, martelou-se o último prego no caixão da Operação Bullish na primeira instância. O juiz da 12ª Vara Federal de Brasília rejeitou definitivamente o aditamento à denúncia oferecido pelo procurador Ivan Marx, autor das acusações perante o Judiciário.

Você não vai ouvir nem ler nada sobre isso no site do BNDES (afinal de contas, a decisão apenas comprova que: "o nosso Brasil deu um jeito de legalizar a corrupção").

Para a AFBNDES, é mais uma evidência do que publicamos em nota para a imprensa citada na última coletiva do presidente do Banco: falar hoje em "caixa-preta" do BNDES é discurseira de político demagogo e de oportunistas do mercado financeiro. Um ganha voto e o outro ganha dinheiro falando asneira sobre o BNDES.

Com base na tal "caixa-preta" preta, acabaram com a TJLP, sem colocar nada no lugar; com o mesmo discurso quase acabaram com o FAT. Hoje os olhos famintos estão sobre a BNDESPar; tigres do mercado financeiro vivem os grandes momentos de suas vidas.

Avanços institucionais

Em reunião com o diretor da FAPES, Rodolfo Torres dos Santos, a comissão de funcionários formada na plenária sobre o plano de saúde, realizada em 16 de dezembro de 2019, concordou em encontros mensais com a equipe de saúde da Fundação. A primeira reunião ocorrerá no dia 4 de março. O diretor propôs também a realização de plenárias semestrais abertas aos empregados e aposentados do Sistema BNDES.

Esperamos estar construindo confiança entre gestores e usuários do plano de saúde, por meio da participação e do diálogo franco entre as partes. Acreditamos que essa iniciativa explora vantagens do sistema de autogestão: a atenção que pode ser dada aos usuários, o acesso aos gestores. Isso é participação e transparência em prol da eficiência.

Novas ameaças: terceirização dos serviços jurídicos?

Por que o BNDES precisa da contratação de serviços jurídicos de terceiros para a realização de oferta pública de ações? Resposta: a verdadeira agenda Montezano (eram três pontos, mas como a "caixa-preta" está vazia, viraram dois): vender e devolver.

Se há um superintendente que aponta problemas com a forma de vender, destitui.Se há um superintendente que aponta problemas com o montante a devolver, destitui. Se há corpo técnico apontando problemas para vender, substitui.

 

Acontece

Conselheira eleita da Petrobras, apoiada pela FUP, vê empresa na contramão das tendências do setor

Acontece

Pegou mal, ministro

Opinião

Parasita por Fernando Newlands

Opinião

Os parasitas e hospedeiros que detonam nosso dinheiro por Sírlia Lima

Opinião

Charge de Nelson Tucci

 

VERSÃO IMPRESSA

(arquivo em PDF)

 

EDIÇÕES ANTERIORES

(a partir de 2002)

AGENDA

Ação da CGPAR: pagamento de inadimplentes

A AFBNDES encaminhou esta semana por e-mail, aos associados que estão inadimplentes com parcelas da ação da CGPAR, boletos com vencimento em 21 de fevereiro.

Número considerável de associados ainda está em falta com os pagamentos: 12,3% em relação à primeira parcela e 33,7% em relação à segunda. Tais pagamentos são obrigatórios, conforme decisão das assembleias das Associações do Sistema BNDES de 15/03/2019. Em caso de dúvida, buscar esclarecimentos no Atendimento da AF.