Movimento

Edição nº1392 – sábado, 16 de maio de 2020

A suposta tentativa de interferência do presidente na Polícia Federal em entrevistas no Faixa Livre

arquivo AFBNDES

Rafael Borges (centro) é advogado e presidente da Comissão de Segurança Pública da OAB-RJ

Programa Faixa Livre permanece no ar durante a pandemia e trouxe, esta semana, outras boas entrevistas sobre temas atuais. Na terça-feira (12), o jornalista e professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) Leonardo Sakamoto disse que Jair Bolsonaro não está à altura do cargo que ocupa. Sakamoto analisou o processo que investiga a suposta tentativa de interferência do presidente na Polícia Federal e valorizou o trabalho da imprensa ante os ataques do ex-capitão. 

Na quarta-feira (13), o advogado e presidente da Comissão de Segurança Pública da Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro (OAB-RJ), Rafael Borges, destacou que a tentativa de coação de Bolsonaro a Sergio Moro mostrou o descontrole do presidente e de sua administração. Ele analisou também os depoimentos no inquérito que está em andamento no Supremo Tribunal Federal a respeito da suposta interferência na Politica Federal, além da atuação do Judiciário neste período de excepcionalidade provocado pela pandemia. 

Na quinta-feira (14), o historiador Heitor Oliveira analisou os 132 anos da assinatura da Lei Áurea, completados no último dia 13, que supostamente libertou os escravos no Brasil, e comentou a situação política do presidente Jair Bolsonaro após os depoimentos no inquérito que investiga sua tentativa de interferência na Polícia Federal. 

A respeito das escolhas do Ministério da Economia, o professor da UFRJ e pesquisador do Instituto de Estudos Estratégicos de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (INEEP), Eduardo Pinto, destacou, nesta sexta-feira (15), que as dificuldades estabelecidas pelo governo para o acesso da população ao auxílio emergencial é deliberada, pois o Ministério da Economia se preocupa mais com os efeitos do déficit fiscal nas contas públicas. Ele analisou também a situação da Petrobras e a crise política que afeta o centro do poder no país.

Campanha – E para garantir o programa ativo durante a pandemia, o Faixa Livre lançou a campanha “Ajude a manter o programa no ar. Colabore com qualquer quantia”.  Dados bancários: Banco Itaú; agência: 1964; conta corrente: 03004-1.

O Programa Faixa Livre vai ao ar, ao vivo, na Rádio Bandeirantes (1360 AM) – toda segunda-feira, das 9 às 10h; e de terça a sexta-feira, das 8 às 10h.

 

Editorial

Atualização das três crises

Acontece

Experiência da FAPES com equacionamento do PBB é tema de live

Acontece

A TLP na berlinda 

“Governo não tem margem para ação discricionária. A formação de taxa de juros com custo de referência da NTN-B amarrou o BNDES”, diz o presidente da AFBNDES, Arthur Koblitz

Acontece

Inscrição de chapas para eleição na AFBNDES segue até 27 de maio

Institucional

O Complexo Industrial da Saúde em tempos de pandemia

Movimento

Reconversão industrial em tempos de Covid-19

Opinião

Grupo BNDES?, por Paulo Faveret

Opinião

Eduardo em Jerusalém ou a bananinhalidade do mal, por Paulo Moreira Franco

Opinião

NEGACIONISMO, por Celso Evaristo
Silva

Opinião

Charge de Nelson Tucci

 
 

EDIÇÕES ANTERIORES

(a partir de 2002)

INSTITUCIONAL

A Fiocruz diante da Covid-19  

Importante entrevista da revista Ciência Hoje, de maio/2020, com a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima, primeira mulher a ocupar o comando da Fundação em seus 120 anos de existência. 

A desigualdade brasileira em meio à crise provocada pelo novo coronavírus é uma das maiores preocupações da socióloga. “Não há democracia na circulação do vírus. Falam que o vírus é democrático, e ele pode, de fato, atingir a todos, como atinge, mas a capacidade de proteção e de resposta a isso é diferente num país desigual como o nosso”, diz ela, referindo-se aos milhões de brasileiros sem acesso à água e impossibilitados de evitar aglomerações.  

Na entrevista, Nísia Trindade de Lima também fala da importância do Sistema Único de Saúde (SUS) e de como criar condições para quando uma vacina chegar estar disponível a todos. 

Para conferir a íntegra da entrevista, clique aqui.