Movimento

Edição nº1407 – terça-feira, 8 de setembro de 2020

Bancários: bom Acordo em conjuntura de pandemia, recessão, ameaça a direitos e desemprego

 

reprodução

Juvandia Moreira, presidente da Contraf-CUT e coordenadora do Comando Nacional dos Bancários

A campanha salarial de 2020 foi vitoriosa para a categoria bancária. Na segunda feira, 31 de agosto, dia em que venceria a Convenção Coletiva de Trabalho de 2018, assembleias em todo o país encerraram o movimento aprovando o que havia sido negociado na Mesa Fenaban. Na mesma data também foram concluídas as negociações específicas de bancos públicos como Caixa Econômica, Banco do Brasil, Banrisul e Banco do Nordeste. Sem acordo, o BNDES foi o ponto fora da curva.  

Avanços 

– Todos os direitos presentes na CCT de 2018 foram mantidos por dois anos, fazendo valer o mote do movimento: “Nenhum direito a menos!” 

– Em 1º setembro de 2020, reajuste de 1,5% para salários + abono de R$ 2 mil. A proposta inicial da Fenaban era de “reajuste zero” por dois anos.  

– Benefícios como vale-alimentação, vale-refeição, auxílio-creche, cesta alimentação e 13ª cesta alimentação serão corrigidos pela inflação – a estimativa é que o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) fique em 2,74%. A Fenaban não oferecia nada para a correção dessas verbas. 

– As regras da PLR (Participação nos Lucros e Resultados) serão mantidas e também será aplicada a reposição inflacionária. A Fenaban queria reduzir o valor pago como PLR.  

– Para 2021, o acordo prevê que os salários, benefícios e a PLR terão, além da correção da inflação, aumento real de 0,5%.  

– Quem está em teletrabalho permanecerá assim durante a pandemia. Ainda não foi acordada uma cláusula específica para o home office, mas já houve o compromisso, com alguns bancos, de negociação do sistema de trabalho com respeito à jornada, ajuda de custo, mobiliário adequado e fornecimento de equipamentos.    

“Na conjuntura em que a gente fez a campanha, de pandemia, crise econômica, desemprego, um governo de direita que ataca direitos dos trabalhadores, o resultado dessa campanha foi muito bom. A categoria manteve todos os direitos. Isso se deu graças à nossa organização nacional”, avaliou Juvandia Moreira, presidente da Contraf-CUT e coordenadora do Comando Nacional dos Bancários. 

Para o Sindicato dos Bancários do Rio, a campanha de 2020 também foi marcada pela luta da categoria em defesa da vida, em função da pandemia da Covid-19. “Vidas se foram, deixando um rastro de saudade e tristeza. O Brasil caminha para quatro milhões de infectados e 121 mil mortos. Unidos nacionalmente, bancários e bancárias se superaram. Como os profissionais de saúde, são heróis na linha de frente para atender à população. A sociedade percebe o valor e a importância da categoria, inclusive para o pagamento dos programas emergenciais de distribuição de renda. O Sindicato tem a honra de reunir uma categoria que sempre fez e continua a fazer história na luta dos trabalhadores por dias melhores. Esta campanha ficou marcada como a da vida, da superação e da dignidade”, destacou a diretoria do Seeb-Rio no dia 1º de setembro.   

Bancos públicos – No Banco do Brasil, todos os direitos da CCT e do Acordo específico foram mantidos – até mesmo o valor da PLR, que o banco queria cortar pela metade. No BNB, além da manutenção de todos os direitos, houve elevação no custeio da educação formal dos funcionários.  E na Caixa Econômica, a mobilização dos trabalhadores fez a direção do banco avançar nos itens referentes ao “Saúde Caixa”.  

Assinatura da CCT – A Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) de 2020 foi assinada na última sexta-feira (4). Presente à cerimônia, o presidente nacional da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Sergio Nobre, destacou a importância do acordo. “Vivemos uma crise inédita em nosso país e construir um acordo que preserva os salários por dois anos é muito importante. O acordo é simbólico porque mostra um caminho para as demais categorias. Ressalto que na maioria das categorias ainda se luta pelo direito de se sentar à mesa de negociação para discutir as demandas”, disse Nobre. 

Na sexta-feira também foram assinados os Acordos Coletivos dos funcionários do Banco do Brasil e da Caixa Econômica. “A manutenção de todas as cláusulas do ACT é um avanço diante dos ataques aos direitos dos trabalhadores e ao funcionalismo público, promovidos pelo governo Bolsonaro”, disse o coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), João Fukunaga, lembrando as diversas medidas provisórias editadas pelo governo, que retiram direitos dos trabalhadores, da reforma trabalhista, da reforma da Previdência, além da reestruturação dos bancos públicos e ameaças de privatização. “A preservação dos direitos documentados em um acordo bianual garante estabilidade para trabalhadores e trabalhadoras diante desta conjuntura que é extremamente desfavorável”, completou. 

O dirigente Dionísio Reis, diretor do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região e membro da Comissão Executiva de Empregados da Caixa (CEE/Caixa), lembrou que mesmo com a assinatura do acordo, que garantiu direitos históricos como o Saúde Caixa, “a representação dos empregados continuará na luta, ao lado dos trabalhadores, do povo brasileiro e demais entidades representativas, em defesa da Caixa 100% Pública e da valorização dos trabalhadores.” 

 

Movimento

A agenda do Faixa Livre: centenário da UFRJ, Petrobras, teto de gastos, eleições nos Estados Unidos, ataques à imprensa, desemprego

Acontece

Investindo na retomada da negociação

Contraf pede retorno da negociação após recusa da proposta do Banco na AGE do dia 1º de setembro e do protesto judicial acatado pelo TST. Comissão das Empresas diz que está à disposição para retomar conversas

Acontece

Mobilização histórica no Sistema BNDES 

Acontece

Comissão dos Empregados encaminhará ao Banco contraproposta para o ACT 2020

Institucional

“Marco legal do saneamento representa um retrocesso”, diz presidente da Federação de Sindicatos de Engenheiros

Institucional

UFRJ comemora Centenário

Opinião

Charge de Nelson Tucci

 
 

EDIÇÕES ANTERIORES

(a partir de 2002)

PESQUISA

AF sorteia máquina de café Nespresso em pesquisa sobre a Pousada Itaipava   

Quem responder à pesquisa sobre os serviços e a infraestrutura da Pousada Clube Itaipava concorrerá a uma máquina de café Nespresso Essenza Mini C30. A AFBNDES sorteará três máquinas. “O ponto de vista do sócio é muito importante para o trabalho de reestruturação da unidade de lazer, que está em curso”, destaca o diretor Fábio Pais. O sorteio on-line acontecerá às 16h do dia 15 de setembro, com transmissão pelo canal da AFBNDES no YouTube, para quem responder à consulta até 23h59 de 13 de setembro 

O link para a pesquisa é o seguinte: https://pt.surveymonkey.

com/r/pesquisa

pousadaitaipava 

 

Retorno da Pousada – A reabertura da Pousada está prevista para a festa do Réveillon 2021. Todos os cuidados serão tomados para que a comemoração aconteça em segurança. As inscrições para o sorteio estarão abertas de 26 de outubro a 4 de novembro, no Atendimento da AFBNDES, pelo e-mail atendimento@

afbndes.org.br e também pelo WhatsApp (21) 99214-4870.  

O sorteio acontecerá no dia 6 de novembro, com a divulgação do resultado no dia 10, no site da AFBNDES. As reservas da primeira chamada serão efetuadas pelos mesmos canais das inscrições no período de 17 a 19 de novembro. Já a segunda chamada se dará de 25 a 27 de novembro. 

Em breve, a AF vai informar o valor do pacote da virada do ano. Mas, caso algum fato impeça a reabertura da Pousada nesta data, os associados serão avisados com antecedência.