Movimento

Edição nº1412 – sábado, 17 de outubro de 2020

Conselheira eleita questiona venda acelerada de ativos da Petrobrás 

Por que tanta pressa em negociar ativos tão importantes da empresa?

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) destaca em seu site (8/10) que Rosângela Buzanelli, representante dos trabalhadores no Conselho de Administração da Petrobrás, critica, em suas redes sociais,  o desmonte acelerado da empresa. Ela chamou a atenção para o fato de que, somente na última semana de setembro, a gestão Castello Branco colocou à venda ativos valiosos e estratégicos na Bacia de Campos (RJ), no Espírito Santo, em Minas Gerais, na Bahia e no Ceará. 

“Por que tanta pressa em negociar ativos tão importantes da empresa? Como não ficar inquieta diante de todas essas vendas de um patrimônio que é lucrativo para o país e gera empregos e renda para milhares em cada localidade onde atua?”, questiona a conselheira eleita. 

Veja a íntegra: 

“Fica até difícil acompanhar todas as notícias relacionadas à venda de polos, subsidiárias e participações em concessões da Petrobrás. Veja o tudo que perdemos em apenas uma semana: 

– Em 25 de setembro, a Petrobrás divulgou o teaser para a venda da totalidade de suas participações nas concessões dos campos de Albacora e Albacora Leste, localizados na Bacia de Campos (RJ). 

– Poucos dias depois, em 27 de setembro, comunicou o início da fase não-vinculante referente à venda da totalidade de suas participações em um conjunto de cinco concessões de campos terrestres, com instalações integradas, o Polo Norte Capixaba, também no Espírito Santo. 

– Em 30 de setembro, a companhia informou, ainda, o início da fase vinculante referente à venda de sua subsidiária integral Petrobras Biocombustível S.A. (PBIO), fundada em 2008 e uma das maiores produtoras de biodiesel, com três usinas localizadas em Montes Claros (MG), Candeias (BA) e Quixadá (CE). 

– E já no dia 1º de outubro, a Petrobrás finalizou a venda da totalidade de sua participação nos campos terrestres do Polo Lagoa Parda, localizado no Espírito Santo. 

– Também recentemente divulgou a Sessão Pública presencial para abertura das propostas comerciais dos licitantes interessados no arrendamento do Terminal de Regaseificação de GNL da Bahia (TR-BA) e instalações associadas. 

Por que tanta pressa em negociar ativos tão importantes da empresa? Como não ficar inquieta diante de todas essas vendas de um patrimônio que é lucrativo para o país e gera empregos e renda para milhares em cada localidade onde atua?” 

Fonte: FUP

 

Movimento

Desmatamento em outro patamar durante o governo Bolsonaro

Acontece

Com concordância do TST, negociação do ACT 2020 segue até quarta-feira (21)

Saúde

Mamografia e acompanhamento médico são essenciais para prevenção do câncer de mama

Acontece

II Simpósio MulheRio em novembro

Opinião

Gatos, dois pares, por Paulo Moreira Franco

Opinião

Charge de Nelson Tucci

Institucional

Eleições movimentam entidades de classe no Rio de Janeiro

 

 

 

EDIÇÕES ANTERIORES

(a partir de 2002)

MOVIMENTO

Os reflexos do auxílio emergencial na economia brasileira 

Entrevista do economista José Luís Fevereiro ao Programa Faixa Livre  

O economista do Instituto por Direitos e Igualdade, José Luís Fevereiro, comentou em entrevista ao Programa Faixa Livre, no dia 13/10, a recuperação da nossa economia nos últimos meses como reflexo do auxílio emergencial concedido pelo governo, mas ressaltou a tendência de queda com a redução do programa pela metade. Avaliou que o problema da crise não se resolve sem mudanças macroeconômicas, como o fim do teto de gastos e a retomada dos investimentos públicos, e destacou a revolução no mercado de trabalho provocada pelo nível de automação dos processos produtivos, algo que, segundo ele, a esquerda ignora. 

O Programa Faixa Livre vai ao ar, ao vivo, na Rádio Bandeirantes (1360 AM) – toda segunda-feira, das 9 às 10h; e de terça a sexta-feira, das 8 às 10h.