Movimento

Edição nº1504 – sexta-feira, 5 de agosto de 2022

Negociação sobre cláusulas econômicas na Mesa Fenaban

A primeira reunião da Campanha Nacional dos Bancários sobre cláusulas econômicas foi realizada na quarta-feira (3). Entre as principais demandas da categoria, presentes na Minuta de Reivindicações, está a reposição da inflação, com aumento real de 5%, além de aumento maior para os vales refeição e alimentação.

“É o mínimo que se espera de um setor que vem tendo lucro ano após ano, enquanto a população sofre com a alta da inflação, principalmente nos alimentos que compõem a cesta básica”, disse a presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Juvandia Moreira.

Juvandia lembrou que 92% dos bancários que responderam à consulta nacional da categoria pediram que a prioridade da campanha seja o aumento real e 62% também querem como prioridade aumento maior nos vales alimentação e refeição (VA e VR).

Segundo a representação da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), existe dificuldade para aumento maior no VA e VR porque o governo alega que os bancos usam os vales para aumentar a remuneração da categoria sem que haja possibilidade de tributar os valores.

Para a presidente do Sindicato dos Bancários de Campinas, Ana Stela Alves de Lima, “o governo não faz a reforma para tributar as grandes fortunas e quer taxar os vales refeição e alimentação dos trabalhadores”. “O VA e o VR trazem grande contribuição para a manutenção do emprego em pequenas e médias empresas do setor de alimentação e comércio”, ressaltou.

Remuneração

Segundo a Contraf-CUT, desde 2017 as despesas dos bancos com pessoal caíram 15% em termos reais. A remuneração média da categoria caiu 2% em termos reais desde 2014, o que, somada à redução do emprego, levou a uma redução na massa salarial do setor de 20% desde 2014. Se considerado um período maior, desde 2004, quando a categoria passou a obter ganhos reais nos salários, a remuneração média dos bancários cresceu 12%. No mesmo período, o lucro dos bancos aumentou 222%. 

Negociações

Na reunião de quarta-feira foram tratadas todas as cláusulas econômicas da minuta, exceto as que versam sobre Participação nos Lucros e Resultados (PLR) e sobre remuneração variável, que estarão na pauta da próxima reunião, a ser realizada na segunda-feira (8).

Fonte: Contraf-CUT


Editorial

Dia da Marmota

A negociação do Acordo Coletivo de Trabalho no BNDES

Movimento

Pilotis da PUC-Rio pela Democracia

Movimento

SINAL reforça protagonismo dos servidores do BC no desenvolvimento do PIX

Institucional

Crise econômica e eleição presidencial no Jornal dos Economistas

 
 

EDIÇÕES ANTERIORES

(a partir de 2002)

INSTITUCIONAL

Um projeto para a reconstrução do Brasil, no Clube de Engenharia

Apesar das ameaças e dos ataques ao Estado Democrático de Direito no Brasil, há oportunidades de fortalecimento das instituições e de retomada do caminho do desenvolvimento, através de um novo pacto político envolvendo a sociedade. A aposta é dos palestrantes que participaram do painel “Um Projeto para Reconstrução do Brasil”, promovido pelo Clube de Engenharia no dia 2 de agosto. O ex-governador do Rio Grande do Sul (RS) Tarso Genro e o economista e professor Ricardo Bielschowsky (UFRJ) apresentaram um diagnóstico contundente da realidade atual brasileira e expuseram propostas que recuperam o rumo dos avanços nos campos social, econômico e político, destroçados nos últimos anos.

Para acessar o vídeo, clique aqui.